Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 7 de março de 2010



SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA O BERÇÁRIO

As atividades planejadas para os alunos do berçário deverão respeitar as diferentes capacidades e interações de cada faixa etária, envolvendo movimentos corporais possíveis de serem realizadas pelas crianças sozinhas ou auxiliadas por um adulto.


"Quanto menor for a criança, maior é a responsabilidade do adulto de lhe proporcionar experiências posturais e motoras variadas. Para isso ele deve modificar as posições das crianças quando sentadas ou deitadas; observar os bebês para descobrir em que posições ficam mais ou menos confortáveis; tocar, acalentar e massagear frequentemente os bebês para que eles possam perceber partes do corpo que não alcançam sozinhos.

O professor pode organizar o ambiente com materiais que propiciem a descoberta e exploração do movimento. Materiais que rolem pelo chão, como cilindros e bolas de diversos tamanhos, sugerem às crianças que se arrastem, engatinhem ou caminhem atrás deles ou ainda que rolem sobre eles. As bolas podem ser chutadas, lançadas, quicadas, etc. Túneis de pano sugerem as crianças que se abaixem e utilizem a força dos músculos dos braços e das pernas para percorrer seu interior. Móbiles e outros penduricalhos sugerem que as crianças exercitem a posição ereta, nas tentativas de erguer–se para tocá-los. Almofadas organizadas num ambiente com livros ou gibis e brinquedos convidam as crianças a sentarem ou deitarem, concentradas nas suas atividades".

Desde muito cedo, os bebês emitem sons, barulhinhos que lhes dão prazer e nestes sons, eles percebem que chamam a atenção, comunicando-se com os adultos. Esta comunicação dá início a construção da linguagem oral.

Nesse processo, as crianças se apropriam dessa linguagem utilizando-a para iniciar e aumentar seu repertório de palavras.

Além da linguagem falada, as crianças se utilizam da linguagem corporal que dão significado aos atos, sentimentos, sensações e desejos. Assim, ela chora ao estar com a fralda molhada, quando sente dor, quando percebe que está sozinha, quando sente fome, frio, calor, etc.

Aprender a falar, dessa forma, não é apenas memorizar sons e palavras, é participar, interagir de variadas situações de comunicação oral em que se expressa desejos, necessidades, sentimentos, etc.

Assim, refletir sobre estas questões é reconhecer que fazemos parte do início do processo de desenvolvimento educacional da criança.

Nesse sentido, somos constantemente observados por ela, por isso, devemos sempre estar atentos, ter o cuidado com a qualidade de nossas interações comunicativas com as crianças, pois estas nos imitam o tempo todo.

Ao trabalhar com crianças de berçário, o ato de planejar deve ser cuidadoso, pois nesta fase, a intervenção do professor como já dito, ocorre a todo momento, e em situações diversas. Assim, músicas, histórias, brincadeiras, etc, são comunicações execenciais que irão auxiliar na construção gradativa de um repertório vasto da linguagem que se vai usar em situações que irá envolver no futuro a leitura e a escrita.

Nesse contexto, o planejamento estará sempre em primeiro plano para o professor, pois este deverá planejar atividades que favoreçam à criança viver experiências ricas e de seu interesse, e que possam atuar com autonomia e liberdade de expressão, interagindo com os colegas de forma cooperativa e solidária.
Rodinha

Músicas de bom dia, sol, janelinha, chamadinha de nomes, etc (a rodinha deve ser feita todos os dias).

Atividades

"Corridas" de obstáculos (invente, utilize almofadas, lençóis, colchonetes, etc,.
Jogos com bolas (role ou jogue a bola até a criança para que ela pegue ou a jogue de volta).
Histórias (todos os dias). Deve-se colocar o nome da história no planejamento.
Músicas (ao utilizar a música, também deve-se colocar o nome no planejamento).
Identidade (mostrar a criança seu reflexo no espelho, fazer caretas, sorrir, abrir a boca, etc).
Esconde-esconde (utilizar lençóis, fraldas, toalhinhas, etc, para esconder e mostrar o rosto para a criança).
Danças (dançar com música de CD ou DVD).
Brincar com móbile (fazer com que a criança ouça, veja e toque um brinquedo do móbile).
Massagem (tocar massageando com cuidado partes do corpo da criança como os pés, cabeça, barriga, testa, etc).
Brinquedo com som (puxar corda de brinquedo que emite som e fazer com que a criança tente refazer esse movimento).
Brinquedos que imitam os sons de animais.
Brincar de rolar, bater palmas, sentar, levantar, arrastar, engatinhar, etc).
Fazer barulhinhos com a boca.
Brincar de serra-serra.
Brincar de imitar (colocar a mão na cabeça, olhos, boca, etc).
Brincar de dedo mindinho, seu vizinho, upa, upa-cavalinho, palminhas de guiné.
Tocar instrumentos musicais para que as crianças percebam os sons e os repitam com outros sons, movimentos corporais,…
Manipular materiais de várias texturas como áspero e liso.
Caixinha mágica (caixa decorada com papel colorido pode ser de sapato, com um buraco no meio. Dentro da caixa colocar vários objetos como bola, chupeta, chocalho, etc. A criança deve colocar a mão dentro e pegar um dos objetos).
Confecção de chocalhos de material reciclável.

MÚSICAS, PARLENDAS, ETC.

Cai, cai, balão.
Eu conheço um jacaré.
Serra, serra, serrador.
Palminhas da Guiné.
Upa, upa, cavalinho.
Boi da cara preta.
Samba Lelê.
Uma minhoquinha faz ginastiquinha.
Cadê o bolinho que estava aqui?…
Cabeça, ombro, joelho e pé.
Põe os braços pra frente, põe os braços pra trás (Xuxa), etc.
Jacaré está na lagoa.
Palminhas nós vamos bater.

Nenhum comentário:

Postar um comentário